Aborto? Ainda?

domingo, 17 de maio de 2009 |

Coito interrompido, tabelinha, pílula, diafragma, DIU, espermicida, camisinha masculina e feminina, pílula do dia seguinte. Adesivo, implante, anel, injeção. Mandinga, simpatia e reza. Qual desculpa hoje em dia para engravidar sem querer? Quase nenhuma, não? A chance de alguns métodos falharem chega a quase zero.

O controle de natalidade foi aclamado como uma grande evolução, principalmente para as mulheres, que passaram a escolher a época em que se achavam prontas para serem mães. No entanto, com mais de duas dezenas de formas de se evitar a gravidez, muitos ainda defendem a legalização do aborto. Não falo aqui dos casos famosos que são levantados como bandeira: estupro ou deformidade genética.

Esses casos são bem menos comuns que as gravidezes por sem-vergonhice. Todos, hoje em dia, sabem desde muito cedo como evitar filhos. Então qual a justificativa racional para o aborto? Que eu consiga enxergar nenhuma. Ah! Mas a mulher tem direito sobre o próprio corpo! Já que tem então se cuide e não engravide.

A legalização, e banalização do aborto é uma regressão. De que adianta tantos métodos se não são usados? Tanta modernidade pra que? E onde está a tal revolução da pílula? Nas clínicas de aborto talvez...

4 comentários:

Ela disse...

Minha mãe sempre diz que as mulheres ganharam liberdade demais, mas não sabem usar.

Se você prestar atenção, as meninas de hoje em dia parecem viver no período medieval: engravidam cedo demais e se estragam cedo demais, porque quase sempre param de estudar e perdem todas as expectativas na vida.

Não há como negar que sexo seja uma das melhores coisas do mundo, mas já que as mulherem afirmam tanto que tem direito sobre o próprio corpo, então por que não exigem prevenção?

mari heinisch disse...

na hora do vamos-ver as moças e moços têm preguiça de parar e colocar camisinha.

Diógenes de Souza disse...

concordo com "Ela". assino embaixo.

Yasmin Barreto disse...

Legalização do aborto sim. E pelo simples fato de que a mulher é dona do próprio corpo e não é o Estado ou a Igreja que vai determinar que não.
Podem achar que é fácil demais engravidar e abortar. Mas não deve ser: o aborto é um processo doloroso psicologicamente e deve ser fisicamente também, ninguém vai querer fazer todo dia, ou vai deixar de se cuidar só porque tem essa opção.
Pensar que o aborto só existirá se for legalizado é um erro. Existem centenas de clínicas clandestinas no país, elas põem em risco a vida da mulher e um aborto mal feito pode resultar em má formação do feto. Com a legalização o aborto será realizado por profissionais formados e competentes, diminuindo esse risco.
Então, sou sim a favor do aborto!